Mensagens

O clima a mudar - 2

O mundo "…enfrenta a problemática do direito humano à água e a exigência de políticas públicas para enfrentar esta realidade", já concluiu o Papa Francisco em fevereiro deste ano.
“O Almeirinense” deu destaque, na sua última edição, ao facto do nosso concelho se encontrar em situação de seca extrema, desde outubro passado. Como grande parte do país se encontra em situação idêntica, não é de admirar que soem os alertas. Muito se tem escrito nos últimos tempos acerca do tema, mas a magnitude do assunto impõe que se insista nele. Embora nos últimos dias, a chuva tenha surgido com alguma frequência, o défice de água é de tal magnitude que estima-se serem necessários dois meses de chuva para estabilizar a situação.
Penso que a maioria da população não está ainda mentalizada para a gravidade do problema. Tem-se uma relação de laxismo e impunidade em relação ao uso da água que é urgente inverter, mudando comportamentos há muito instalados. A utilização da água tem de ser objeto d…

Ernesto Cortázar

Imagem
Compositor mexicano, nasceu a 10 de dezembro de 1897 em
Tampico. Muitas das suas composições foram utilizadas no cinema, onde também se
destacou como argumentista. Faleceu em 1953 num acidente de automóvel, em Lagos
de Moreno, Jalisco, México.










Mozart - Piano concerto No 21, Elvira Madigan - Best-of Classical Music

Imagem
Passam hoje 225 anos sobre a morte de Wolfgang Amadeus Mozart. Nesse distante 5 de dezembro de 1791, faleceu Mozart em Viena. Não sendo eu um dos mais fervorosos adeptos da sua obra, reconheço a sua genialidade. Este Concerto para piano nº 21 é uma das suas obras que mais gosto.
O meu artigo de opinião n'O ALMEIRINENSE de 15 de agosto de 2016
TEMPOS DIFÍCEIS
A crise económica que a Europa e o Mundo atravessam e os cada vez mais escassos fundos disponibilizados por Bruxelas, tornam a tarefa dos autarcas de hoje manifestamente mais difícil e exigente que a dos seus antecessores. Por isso as autarquias estão hoje perante uma nova realidade: fazer omeletes com poucos ovos e, muitas vezes, sem nenhuns.
Foi perante esta nova realidade que o actual executivo camarário tomou conta dos destinos de Almeirim. Sabemos que este executivo herdou do anterior, também socialista, uma situação financeira equilibrada, sinal da sua inegável competência. Mas também não recebeu nenhum tesouro de moedas de ouro para esbanjar a bel-prazer. Recebeu, sim, um legado de competência e muita dedicação.
O facto é que, pelas dificuldades atrás referenciadas, não há margem para atender todas as solicitações, muito menos para obras emblemáticas. Bem gostaríamos de ter em Almeirim, mesmo a …
Imagem
O meu artigo de opinião nO ALMEIRINENSE de 1 de julho de 2016 ALMEIRIM CIDADE ATRATIVA
Chama-se poder de atração de uma cidade à influência que ela exerce, através da sua oferta económica e cultural, sobre as populações de um determinado território, que pode ir muito além da sua área administrativa. Almeirim situada em plena lezíria do Tejo é, sem dúvida, um dos polos urbanos de maior atratividade desta sub-região.
É facilmente constatável, e observável, que a nossa cidade é fortemente atractiva para gentes de outros concelhos e freguesias limítrofes, como Alpiarça, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e até mesmo de Santarém. São populações exteriores que regularmente procuram a oferta comercial da cidade (onde as grandes superfícies coexistem com um comércio local cada vez mais pujante e dinâmico), os serviços (banca, seguros, ensino, saúde…), o mercado mensal e outras actividades de cariz mais especializado.
Se estas atividades estendem o hinterland de Almeirim para territórios …

DEZEMBRO

Imagem
Dias frios.
Orvalho.
Gotas matinais que o sol tardio beberá.

As Cidades Invisíveis

Imagem
Releituras.
"Em Cloé, a grande cidade, as pessoas que passam pelas ruas não se conhecem. Ao verem-se imaginam mil coisas umas das outras... Mas ninguém dirige uma saudação a ninguém, os olhares cruzam-se por um segundo e depois afastam-se, procurando novos olhares, não param. ... consumam-se encontros, seduções, ligações, cópulas, orgias, sem que se toquem com um dedo, quase sem se olharem. ... Cloé a mais casta das cidades. Se os homens e mulheres começassem a viver os seus efémeros sonhos, todos os fantasmas se tornariam pessoas com quem se poderia começar uma história de perseguições, de ficções, de malentendidos, de choques, de opressões, e assim acabaria o carrocel das fantasias." Italo Calvino, As Cidades Invisíveis.
Calvino, um eterno retorno, porque a ele, tal como a Jorge Luís Borges,estou sempre a regressar.