17 fevereiro, 2009

Giordano Bruno


Giordano Bruno, nascido em Roma em 1548, foi queimado neste dia 17 de Fevereiro na fogueira da Inquisição romana, decorria o ano de 1600, acusado de heresia. Bruno foi um pensador que, ao contestar a Santíssima Trindade, foi rotulado de herege pela Igreja, tendo, por este motivo, abandonado o hábito dominicano — em cuja Ordem se tinha doutorado em teologia.
Defensor do humanismo a sua obra viria mais tarde a influenciar o pensamento filosófico de Espinoza.
Mais uma vítima da intolerância de alguns que, ontem como hoje, se julgam donos das ideias e guardiães da sociedade. Neste século em que a intolerância, em vez de banida, assume novas e tão variadas formas, talvez faça bem recordar a história.