28 setembro, 2010

O Mistério da Camioneta Fantasma

No passado domingo estivemos no Cinearte para ver a peça apresentada pelo teatro A Barraca O Mistério da Camioneta Fantasma, de Hélder Costa.

Inserida no programa de comemorações do Centenário da República, a peça tem por tema de fundo os assassínios ocorridos em 19 de Outubro de 1921 que eliminaram entre outros, António Granjo, Carlos da Maia e Machado Santos, figuras prestigiadas do republicanismo. O roncar da camioneta fantasma que, transportando os assassinos, percorreu as ruas de Lisboa naquela noite, é a alegoria do terror.

A peça enquadra, com humor e discernimento, a sociedade dividida da época, com o povo posto perante novos e desconhecidos tempos - democracia e a liberdade eram ainda conceitos relativamente novos - e os partidários da deposta monarquia a conspirarem, por todos os meios, para a recuperação dos seus privilégios, explorando as debilidades, as divisões e a inépcia dos dirigentes republicanos.

E como esses agitados tempos foram o prenúncio do 28 de Maio que imporia à Nação o Estado Novo, nem o António e a sua governanta Maria faltaram à chamada,  para acabar com o “reviralho”.

Excelentes nos seus papéis Rita Fernandes, Luís Thomar, João d’Ávila e restante elenco.

Um tema que foi tabu nacional durante décadas, abordado com seriedade e muito humor. Que mais querem? Não percam, vão ver.


Sem comentários: