22 outubro, 2006

España, non te aburres.


Estes iberos estão todos loucos. Bastou uma sondagem a uns míseros 741 portugueses, na qual pouco mais de duzentos (27,7 %) responderam que “preferiam ser espanhóis”, para no outro lado da fronteira uns quantos coitados dessem pulos de contentamento e corressem a averiguar se também os espanhóis gostariam de uma união com Portugal. A pergunta foi feita a 588 “hermanos” dos quais, espanto dos espantos, 43,4 % responderam sim, que Portugal era muito bem integrado na grande Espanha. Só 43,4 % ?... Afinal ainda há esperança para Espanha. Andava eu convencido que do lado de lá pelo menos 97% ( os 3% restantes seriam dos habituais “não sei”, “não tenho conhecimento”) estavam desertinhos por nos ferrar o dente. E digo ferrar o dente por isso mesmo, porque os “muchachos” que por cá demandam vêm à procura de comida (bacalao, cozido à ... ) a sério para esquecerem o desastre completo que é comer num qualquer restaurante espanhol. Se eles cozinhassem tão bem como falam alto!.. Pois é com profundo agrado que registo que tão poucos espanhóis se queiram misturar com a malta portuga. Parece que aquela gente começa a demonstrar algum bom senso, pois se eles não se entendem a eles próprios porque quereriam mais lenha na fogueira?
Quanto aos 27,7 % de portugueses que responderam não se importarem de ser espanhóis, esses estão cheios de razão, e quem não os compreende (como os espanhóis não compreenderam) são aqueles que, não sendo de cá, não percebem as idiossincrasias da nossa gente. Com os ventos que agora correm na terra lusa, quando o látego começa a atingir todos, há sempre portugueses desertos por fugir, seja para Espanha seja para outro qualquer lugar. Por isso penso que seria interessante e instrutivo fazer uma sondagem a indagar que percentagem de portugueses gostaria que o seu país se tornasse no 51º estado americano? Não sei qual o resultado, mas avanço uma probabilidade: 25% contra ( 8% dos reformados que ainda votam no PCP, 2% de bloquistas de base que usam burka sempre que se viram para ocidente, e 15% de socialista que ainda mantêm algum bom-senso) e 75% a favor (funcionários públicos, alguns autarcas, professores, médicos e juízes, somando os todos os madeirenses que começam a temer pelo subsídio do Alberto João. Ah, ia-me esquecendo, o Pacheco Pereira também...).

Sem comentários: